Boas maneiras à mesa

 

Boas maneiras é em parte questão de bom senso mas requer o conhecimento de algumas normas que podem ajudar a não se sentir constrangido em qualquer ocasião. Muitas vezes a intuição pode auxiliar, mas em outras, se não sabemos proceder, o jeito é observar. E se ainda persistir alguma dúvida, nada impede de perguntarmos.

Um convidado para qualquer recepção, almoço ou jantar, deve se apresentar com a roupa apropriada para o evento. Nunca se deve usar boné, chapéu ou camiseta sem mangas à mesa de uma refeição. Mesmo em situações informais ou refeições com a família e no recesso do lar, é uma demonstração de consideração estar apropriadamente trajado. Outro fator importante é observar o horário marcado evitando que os demais convidados sejam constrangidos a aguardar a sua chegada para dar início a um almoço ou jantar.

Na distribuição de convidados à mesa, somente o dono da casa, anfitrião ou a anfitriã, ocupam as cabeceiras da mesa na disposição à inglesa ou o centro da mesa na disposição francesa. Também são eles que designam os lugares a serem ocupados. Os convidados devem aguardar o convite para se dirigir à mesa ou ao buffet, e devem esperar que os anfitriões, convidados de honra e os mais idosos ocupem seus lugares. Também não se deve deixar de atender ao primeiro chamado dos anfitriões para ocuparem seus lugares.

Postura à mesa de refeições

É um gesto de simpatia e educação que os homens podem demonstrar às senhoras presentes, auxiliando-as a sentar, afastando a cadeira para lhes dar espaço e depois ajudando a encontrar a posição mais cômoda. O homem presta sua gentileza primeiramente à mulher que estiver à sua direita.

A postura correta à mesa é manter-se com a cabeça e tronco ereto, sem excessiva rigidez, porém evitando sentar-se com as costas curvadas, inclinar-se sobre o prato, descansar os pés sobre os joelhos, apoiar os cotovelos na mesa como também inclinar-se para trás. É permitido estar relaxado, porém sem excessos.

Todos os procedimentos devem ser feitos de forma natural, sem nenhuma tensão ou stress. Um jantar ou uma refeição junto de outras pessoas deve ser de satisfação e descontração. Evitando-se os excessos, podemos tornar esse momento agradável para todos.

Guardanapo

O guardanapo em geral é colocado à esquerda ou sobre o prato. Ao tomar o lugar designado, deve-se posicionar o guardanapo no colo ou colocá-lo ao lado esquerdo, mantendo-o dobrado. Manter os lábios e a boca limpos, usando com frequência o guardanapo, principalmente antes usar um copo ou xícara, a fim de não deixar marcas em suas bordas, faz parte dos bons modos à mesa.

Também é imperdoável prender o guardanapo no colarinho da camisa ou no decote do vestido. Um guardanapo nunca deve ser usado para assoar o nariz, enxugar a testa ou o rosto, estando à mesa. Se for muito necessário, retire-se da mesa por um momento.

Aliás tossir, espirrar e assoar o nariz, estando-se à mesa, transmite uma péssima imagem. Sendo algo inevitável, melhor é voltar-se para uma direção em que não haja nenhuma pessoa, e lance mão de um lenço a tempo de colher o espirro. Se involuntariamente arrotar ou fizer qualquer ruído, desculpe-se com os convidados próximos. Ao terminar a refeição, o guardanapo deve ser deixado à direita do prato.

Como manusear os talheres

Não se deve servir o prato antes do anfitrião e, se for servido pelo garçom, aguarde até que todos tenham sido servidos, para começar a comer. Se houver inúmeros talheres significa que serão servidos diversos tipos de refeição. Os talheres estão colocados na mesma ordem em que serão servidas as iguarias. Os primeiros talheres a serem usados são aqueles que estão mais distantes do prato, garfos à sua esquerda e facas à sua direita. Conhecer os vários tipos de talheres e a quais pratos seu uso se relaciona, ajuda a proceder com mais desembaraço.

O pão colocado no pratinho à esquerda deve ser consumido partindo os pedaços com as mãos e conservando-o sempre no respectivo pratinho. Não se corta o pão com a faca, mesmo que seja um pão especial. Se houver um courvert, com molhos, manteiga e outros, usa-se o talher que está junto ao prato de pão. O prato principal deve ser mantido na mesma posição à frente e não deve ser movimentado, nem mesmo quando se termina de comer.

Quando houver consomê ou caldo, usa-se a colher da direita, evitando aspirar ruidosamente o caldo. Também não se mistura a comida do prato com o garfo. Recolhe-se com o garfo porções dos vários ingredientes, sem misturá-los previamente. Ao cortar, deve-se evitar que a faca colida com o fundo do prato. Um talher usado jamais deve ser colocado sobre a toalha da mesa.

Bebidas

Os drinks e coqueteis porventura servidos antes do jantar não devem ser levados à mesa de refeição, mesmo que ainda não tenha terminado de apreciá-lo. Igualmente não se solicita bebida destilada tipo whisky, cognac, vodka etc. e nem bebidas doces como licor e vinhos licorosos como acompanhamento dos pratos principais.

O acompanhamento em um jantar formal é sempre o vinho e será servido à mesa. Deve-se beber apenas o que é oferecido como acompanhamento a cada estágio da refeição, e no momento oportuno. O anfitrião oferecerá bebidas destiladas quando forem exigidas por pratos especiais. Também não se pede mais vinho. Cabe ao anfitrião ou ao garçom estar atento ao copo vazio, porém é permitido solicitar água. Ter moderação na bebida é essencial.

Brindes e discursos

Uma pessoa educada é capaz de proferir algumas palavras de saudação, brinde ou discurso quando solicitada a fazê-lo em um almoço ou jantar, ou quando percebe que é oportuno e esperado que tome tal iniciativa. O brinde por isso é um tópico de boas-maneiras à mesa, tanto quanto à postura para o gesto de brindar como quanto ao modo de responder ao brinde.

Em situações formais, na hora do brinde, basta erguer o copo um pouco acima, depois que a pessoa que comanda o brinde terminar de falar algumas palavras sobre o momento. Em reuniões íntimas, vale encostar levemente o copo no das pessoas, preferencialmente aquelas que estiverem mais perto, não sendo necessário debruçar sobre a mesa para brindar com os convidados distantes. Dizer “tintim” faz parte do brinde e é importante lembrar que, em qualquer situação, só se começa a beber depois de feito o brinde. Uma vez feito o brinde é obrigatório que a pessoa prove um pouco da bebida, não sendo elegante colocar o copo sobre a mesa sem beber.

Atitudes à mesa

Enquanto comemos, existem algumas atitudes que devem ser auto vigiadas: não posicionar os cotovelos sobre a mesa enquanto comemos, apenas os punhos. Ao utilizar o garfo e a faca, manter os cotovelos próximo do corpo. Também usar as mãos com propriedade: os franceses adotam ter ambas as mãos sobre a mesa segurando o garfo com a mão esquerda e a faca com a mão direita; os ingleses só usam ambas as mãos apenas no momento de cortar a carne, e depois mantêm a mão esquerda no colo. Fazer gestos com um talher nas mãos pode parecer um guerreiro em luta. Ao finalizar a refeição, posicione os talheres paralelos sobre o prato.

À mesa, converse com os convidados ao seu lado esquerdo e direito e os convivas à sua frente. Preferencialmente, participe do interesse geral dos anfitriões, em atitude atenta porém nem tensa ou ansiosa. Não se coloque distante do que ocorre a mesa, ocupando-se em brincar com talheres ou distraindo-se com celular ou outro objeto. Mantenha o bom humor, atenção amável e interesse na conversação, sempre incluindo os anfitriões, seja com o olhar, seja ouvindo com respeito suas opiniões. Não fale alto nem com entusiasmo ou otimismo exagerados.

Nas refeições informais e no caso Buffet não há restrição para se repetir um prato, porém, quando estão previstos vários pratos, na ordem própria de uma refeição completa servida à francesa, somente se repete um prato se o garçom oferecer uma segunda vez. Não se pede para repetir qualquer dos pratos, pois em geral um prato completa o precedente, de modo que sua fome não será aplacada com o primeiro deles, mas somente ao fim da refeição, incluída a sobremesa.

O buffet permite à pessoa servir-se várias vezes e até na mesma ordem dos pratos de uma refeição servida à francesa: entradas, massas, carnes e guarnições etc. Não se aperceber disto e encher o prato misturando vários sabores ou exagerar nas porções ou portar um prato transbordando de comida, é deselegante além de colocar-se ao risco de ser observado pelos demais como uma pessoa faminta.

Gafes imperdoáveis

É desnecessário dizer que não se fala com a boca cheia, não se mastiga com a boca aberta e nem se mastiga ruidosamente, pois esses são preceitos bastante conhecidos. Quando se quer fazer alguma intervenção mais extensa, deve-se interromper a refeição. Falar enquanto come induz a engolir muito ar, resultando em dores no estômago e no peito, além de outros inconvenientes. Também não se comenta e não se faz comparações sobre a comida ou o vinho servidos.

Não se pega indiscriminadamente com os dedos nem se cospe no guardanapo partes não comestíveis do que foi levado à boca. A regra geral é: do mesmo modo que se levou um alimento à boca, retira-se qualquer sobra dele que seja necessário remover; por exemplo, um osso, cartilagem, um caroço etc. Se o alimento foi levado à boca com o garfo, aproxima-se o garfo à boca para retirar qualquer parte indesejável, protegendo o gesto com a outra mão. Qualquer descarte indesejável deve ser colocado na borda do prato, e não no pratinho de pão ou no sousplat. Se por acaso cair um pouco de comida de seu prato sobre o forro da mesa, recolha com o garfo e coloque ao lado do prato.

Meter o dedo na boca para limpar entre os dentes com a unha, limpar o nariz no guardanapo, limpar a boca no forro da mesa ou cometer outras imprudências à mesa, demonstra despreparo para comer em companhia de outras pessoas. Igualmente não se palita os dentes à mesa e nem se sai do restaurante com um palito nos lábios. Em caso de necessitar remover algo preso aos dentes, espere a oportunidade de ir até o banheiro para cuidar disso.

Para ausentar-se da mesa

Para levantar-se ou ausentar-se da mesa é necessário se desculpar ou pedir licença, porém sem necessidade de dar grandes explicações, por exemplo, que necessita ir ao banheiro. Acidentes de deglutição são causas frequentes de engasgo com água, saliva, farinha, bebida alcoólica forte, fragmentos de comida. A espinha de peixe é um problema especial. Assim é preciso assegurar-se de que a porção a ser levada à boca esteja livre de espinhas. Justamente por isso a faca para peixe não tem corte, porque serve para separar.

A reentrância do talher de peixe na forma de espátula, serve para separar com cuidado a carne das espinhas e dos ossos. Uma espinha de peixe pode causar ferimentos, e nesse caso pode ter que ser retirada com os dedos. Se sentir necessidade, a pessoa deve ir ao banheiro para cuidar mais à vontade do problema. Mas não hesite em pedir auxilio nos casos de se sentir-se sufocada.

Seja elegante

É anti-higiênico e deselegante colocar sobre a mesa o telefone celular, a chave do carro, etc. Telefones celulares devem ser desligados e religados somente após a pessoa deixar a mesa. Quando se precisa manter o celular ligado, mantenha-o no bolso ou na bolsa, ou em um ponto ponto suficientemente próximo da mesa para que escute a chamada, ou tê-lo no bolso apenas com o sinal de vibração ligado, e se desculpar quando precisar atendê-lo.

Também não se toca nos cabelos, não se retoca maquiagem à mesa, ainda que a refeição esteja terminada. Qualquer procedimento referente a cuidados com a roupa ou com a maquiagem deve ter lugar no banheiro. Cabelos presos evitam que caiam sobre o rosto e o prato. Unhas bem cuidadas são notadas enquanto se segura um talher para comer. As mulheres devem retirar o excesso de batom com guardanapo descartável para não manchar os copos nem deixar marcas notórias no guardanapo. Estes são cuidados que se deve ter ao participar de uma refeição, ainda que seja informal ou da rotina diária, e inclusive no lar.

Civilidade e boa educação

Licença, Por favor, Desculpe, Obrigado e outras palavras gentis servem para solicitar ou para agradecer um serviço ou uma gentileza. Ser gentil com os garçons e pessoal de serviço, assim como com os outros convidados demonstra civilidade e boa educação. Grosserias com os serviçais por parte do anfitrião, não devem servir de incentivo para seus convidados, que devem repudiar tal prática.

Não se chama atenção e não se remove de modo ostensivo qualquer coisa imprópria encontrada no prato, como fios de cabelo, insetos etc. Coloque o objeto estranho debaixo da borda do prato. Se preferir continuar a refeição, solicite discretamente outro prato sem muitas explicações. Porém se isto lhe tirar o apetite, tente engajar em alguma conversação que possa distrair a atenção do seu gesto e, ao final, pode alegar estar sem apetite e pedir desculpas por deixar boa parte da comida no prato. No caso de estar em um restaurante, use a discrição.

Qual a hora de despedir-se

Após os discursos e brindes, a partir da sobremesa, durante o cafezinho e os licores, é tolerável uma postura menos formal e a atitude pode ser um pouco mais à vontade. No entanto, deve-se aguardar que a anfitriã convide para deixar a mesa para o café e licores numa sala de estar, onde os convidados deverão permanecer por algum tempo, se despedir e partir.

Em consideração aos anfitriões, despeça-se na hora oportuna sem prolongar demasiado sua presença.Permanecer muito tempo após o serviço de jantar, chá ou coquetel obriga a anfitriã, certamente já cansada, a pensar em algo mais para oferecer.

Dá pra levar um pratinho?

Nunca solicite um pouco do que sobrou de um jantar ou almoço, um pratinho de doces ou pedaço de bolo. Ter olhos para o que possa sobrar de uma festa demonstra necessidade econômica e, embora a comparação possa parecer muito rude, é um papel de pedinte.

As sobras de uma festa, para que não haja desperdício, poderão ser oferecidos pela anfitriã apenas a parentes ou convidados muito íntimos, desde que sejam os últimos a sair. A anfitriã também pode optar para convidar os convidados mais íntimos para uma refeição no dia seguinte, com a mesma finalidade.

Agradecimentos

O convidado pode agradecer ao garçom quando é servido, mas não pode fazer qualquer observação, nem mesmo elogios diretamente a ele ou lhe agradecer pela saborosa comida. Todo prazer do encontro deve ser agradecido a quem o convidou, porém no final do encontro.

Após participar de um jantar ou festa, é elegante enviar no dia seguinte uma mensagem de agradecimento, que pode ser acompanhada de flores. Se houver mais intimidamente com o anfitrião ou anfitriã, pode-se telefonar para comentar, tecer elogios e cumprimentar pelo evento.

Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br

 

 

 

 
Esta entrada foi publicada em Artigos e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.