Turismo de negócios: como funciona e qual sua importância

 

Texto de Alexandre Kida

O turismo de negócios pode ser considerado um conceito relativamente novo. Afinal, há alguns anos, quem viajava a negócios não era considerado um turista.

Entretanto, para as indústrias de hotelaria, transporte aéreo, locação, entre outras, as necessidades desses colaboradores em deslocamento são muito semelhantes às de quem está ali apenas para lazer e descanso os objetivos podem ser bastante distintos, mas o viajante a negócios ainda precisa de um hotel, de transporte, de almoços e jantares e de passagens de avião.

Ou seja, ele movimenta a indústria do turismo de forma intensa e importante, especialmente quando consideramos que, no mundo globalizado em que vivemos, as viagens de negócios são cada vez mais frequentes.

Agora, fique por dentro do assunto e entenda melhor o funcionamento e a importância do turismo de negócios!

O impacto do turismo de negócios para a indústria

Além das necessidades que citamos na introdução e que são comuns tanto a quem viaja a negócios quanto ao turista comum, um colaborador atuando em outro destino em nome de sua empresa faz uso de uma série de recursos, equipamentos e espaços específicos.

Assim, além de adquirir passagens aéreas, de alugar um carro para o deslocamento no destino, de alimentar-se na cidade e de reservar um quarto de hotel, o viajante a negócios também requer salões para eventos, espaços para realizar feiras e treinamentos e salas de reuniões.

Muitas vezes, há também a necessidade de contratar fornecedores e profissionais técnicos e de alugar equipamentos e tecnologia para essas ocasiões.

Com isso, o colaborador e a empresa que fornece os recursos para a viagem contribuem ativamente para a movimentação dos negócios na cidade de destino e para a indústria do turismo como um todo.

Isso torna-se ainda mais significativo nas épocas de baixa sazonalidade, nas quais os destinos turísticos percebem uma diminuição considerável dos visitantes, mas que não afetam o turismo de negócios.

Buscando otimizar os recursos financeiros, muitas empresas negociam com seus fornecedores para diminuir o impacto da alta temporada. Como viagens corporativas acontecem ao longo de todo o ano, é importante planejar-se com antecedência.

Pense na cidade de São Paulo, por exemplo, que recebe milhões de turistas todos os anos — mais especificamente, cerca de 3,5 milhões deles.

Destes, 67% vão à capital paulista por motivos profissionais, o que faz de São Paulo a capital nacional do turismo de negócios.

Assim, além de inúmeros e diversificados espaços culturais e de lazer, a cidade também conta com infraestrutura, serviços e equipes de profissionais pensados especificamente para essa parcela dos turistas.

O impacto do turismo na economia brasileira mostra-se ainda mais forte quando consideramos que o setor representa 7,9% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e gera 6,59 milhões de empregos.

Em 2017, o turismo trouxe 163 bilhões de dólares para a economia do país — um crescimento de 7% em relação ao ano anterior. Em 2018, a previsão é de que a contribuição do turismo para o PIB cresça outros 2,5%, chegando a 8,2% nos dez anos seguintes.

Trata-se, portanto, de um volume significativo para as empresas. Por isso, a eficiência da gestão desse setor mostra-se fundamental para o sucesso contínuo das organizações.

O crescimento do turismo de negócios dentro das empresas

Outro aspecto que acentua a importância do turismo de negócios para a indústria é o fato de que esse conceito nunca esteve tão presente dentro das empresas quanto hoje.

Além da globalização, isso também acontece por causa das crescentes facilidades para planejar e investir nessas viagens, como novas ferramentas para otimizar o custo-benefício e a produtividade desses deslocamentos.

Segundo dados de junho de 2018 da ALAGEV — Associação Latino Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas, 46% dos gestores das empresas analisadas reportaram diferentes níveis de aumento nos gastos com viagens corporativas.

Enquanto isso, quando falamos de eventos corporativos, os quais também movimentam o turismo desse segmento, metade das empresas afirma ter aumentado em mais de 10% os gastos ao comparar o primeiro semestre de 2018 com o mesmo período de 2017. Os outros 50% dizem não ter tido alterações no orçamento para esse tipo de evento.

Entretanto, em relação ao segundo semestre de 2018 e do ano anterior, 50% das empresas pesquisadas preveem um crescimento de até 5% nesses gastos, enquanto as outras 50% acreditam que o aumento vai ficar entre os 5 e os 10%.

Assim, podemos perceber que os eventos e viagens de negócios são uma realidade em todas as empresas e que, na maioria delas, há crescimentos entre um período e outro.

Isso significa que, daqui para a frente, o impacto dessas ocasiões no turismo só vai crescer. Entre 2016 e 2017, as companhias aéreas tiveram um aumento de 13,4% na venda de passagens nacionais e de 20,2% para os destinos fora do Brasil.

No setor da hotelaria, o turismo de negócios também representa a maior fonte de lucros. Em 2017, o Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil reportou que, em todos os segmentos de valores de diárias, os hóspedes viajando a negócios somam mais da metade dos clientes.

A única exceção é entre as diárias superiores a R$ 410,00, considerados quartos/hotéis de luxo, ou seja, naturalmente não tão procurados pelas empresas. No entanto, os viajantes profissionais somam 43,4% do público dessas acomodações.

Já quando falamos da locação de veículos para o deslocamento dos viajantes a negócios, no território nacional, as locações tiveram uma queda de 1,4% entre 2016 e 2017.

Isso pode ser justificado pelo crescimento da popularidade de aplicativos de transporte, que oferecem ótimas condições para as empresas que criam contas corporativas para uso dos colaboradores em deslocamento.

Enquanto isso, fora do Brasil, as locadoras de carros tiveram um aumento de 5,7% em seu volume de negócios. Tanto nacional quanto internacionalmente, o segmento de transporte turístico que mais cresceu entre 2017 e 2016 foi o de transfers (deslocamento entre o aeroporto e o hotel e vice-versa), que registrou um aumento de 74,6%.

As novas necessidades do colaborador que viaja

Com o crescimento do turismo de negócios, evolui também a forma com que os colaboradores se deslocam em nome da empresa.

Tendências como as bleisure trips, por exemplo, que misturam “business” (negócios) e “leisure” (lazer), fazem com que os viajantes profissionais formem uma relação mais aprofundada com a sua cidade de destino, aproveitando mais os momentos de descanso.

Isso, por consequência, faz com que a infraestrutura turística e os espaços ao ar livre das cidades visitadas sejam frequentados mais regularmente por esse tipo de viajante. Ou seja, eles ampliam o leque de espaços e serviços que se beneficiam da presença e do fortalecimento do turismo de negócios.

Uma grande tendência é o oferecimento de serviços personalizados, moldados de acordo com o perfil de cada viajante e com o tipo de negócio que ele e sua empresa conduzem.

Isso cria novas demandas para as empresas que lidam com o turismo e, além disso, também proporciona uma experiência mais agradável para o colaborador, o que impacta diretamente na sua motivação e produtividade.

Como vimos, o turismo de negócios tem um impacto cada vez mais significativo na indústria do turismo, o que é resultado também de sua crescente importância para as empresas que enviam seus colaboradores para outras cidades e países. Portanto, é fundamental investir nesse segmento e planejar as viagens a negócios da sua equipe com cuidado.

Fonte: www.copastur.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Gestão de eventos: porque contratar é a melhor opção?

 

Texto de Alexandre Kida

Uma das maiores dificuldades do dia a dia de qualquer profissional é lidar da melhor maneira possível com todas as demandas que a função exige, não é verdade? E quando, além das suas funções básicas, a você também é atribuída a responsabilidade por organizar reuniões, festas de fim de ano e treinamentos, o cenário complica um pouco mais. Nesse caso, a quantidade de atividades se torna tão grande e o tempo passa a ser tão escasso que o melhor a fazer é, sem dúvida, contratar uma empresa especializada em gestão de eventos.

Acredite: deixar de lado as ações estratégicas para ter que lidar com atividades operacionais é um cenário com o qual muitos profissionais costumam ter que lidar. O tempo para a elaboração do planejamento do evento é escasso, especialmente porque é preciso cotar cada um dos serviços com mais de um fornecedor, organizar os valores, comparar e reduzir custos, ao mesmo tempo em que a lista de convidados precisa do máximo de atenção, bem como a logística envolvida em todo o processo e uma infinidade de atividades igualmente imprescindíveis ao sucesso de qualquer que seja o evento.

Não tenha dúvida: o melhor a fazer é contar com uma empresa competente na área, cuja credibilidade garanta a realização do serviço contratado e, de preferência, com redução dos custos totais. Ainda não está seguro sobre os benefícios obtidos com a contratação de uma empresa especializada em gestão de eventos? Então conheça alguns deles agora mesmo!

Especialização dos profissionais

Por maior que seja sua dedicação e seu comprometimento com o trabalho e as tarefas a você atribuídas de forma geral, se não é um especialista em determinada área, inevitavelmente enfrentará algumas dificuldades. Podemos citar:

  • A conciliação da nova atividade com suas funções normais, sem atrasos em ambas;
  • A possibilidade nada remota de prejudicar a qualidade geral de seus compromissos;
  • As falhas por falta de expertise que podem abalar o potencial de sucesso do evento.

Não tem mistério: em tudo o que você se propõe a fazer, o melhor é sempre entregar o mais importante em mãos competentes, a fim de assim providenciar os cuidados necessários à sua realização. No que tange especificamente à gestão de eventos, especialistas no assunto saberão como e quando contratar os serviços necessários, sem cair em armadilhas por falta de experiência e conhecimento — armadilhas essas a que outro profissional estaria sujeito, consequentemente podendo comprometer o evento como um todo.

Resolução de imprevistos

Já ouviu o ditado que diz que o paradoxo dos imprevistos é que eles podem ser evitados? Com isso em mente, pense bem: uma empresa dedicada à realização de eventos conhece as minúcias dessa atividade, podendo por isso agir de forma preventiva, a fim de evitar diversos problemas. Esses profissionais saberão de que forma lidar com cada acontecimento, solucionando-os com a maior agilidade cabível, caso não seja possível impedi-los.

Isso acontece porque as equipes dedicadas estão sempre preparadas, tendo na manga algumas opções de plano B, além de conhecerem direitinho a importância e os trâmites para dispor de serviços preventivos de emergência — como ambulâncias e bombeiros, caso se aplique. Não restam dúvidas de que evitar a tempestade é o melhor a fazer. Mas, de toda forma, se as nuvens começarem a pesar, o ideal é contar com a ajuda de quem conheça um bom (e barato) fornecedor de guarda-chuva, não concorda?

Operacionalização da estratégia

Uma vez designada a equipe de execução das atividades relacionadas ao evento, caberá a você tratar das questões estratégicas e orquestrá-las da forma mais sistêmica possível. Cá entre nós, ter que se dividir entre gerenciar, providenciar soluções e executar tarefas operacionais é comparável a ser o zagueiro, o meio de campo e o atacante ao mesmo tempo. Assim fica difícil ganhar o jogo! Já contratando uma empresa especializada, é possível manter o foco nos pontos estratégicos, gerenciar a qualidade do todo operacional e contribuir para que tudo saia como o planejado.

Organização de qualidade

Assim como a empresa tem suas atividades rotineiras e elas estão sujeitas a processos predefinidos, sendo isso o que garante a continuidade de seu funcionamento, é preciso lembrar que um fornecedor de gestão de eventos também é uma empresa. Por isso, também deve contar com seus próprios processos para ter domínio do que faz. Há checklists, relação de fornecedores e de produtos previamente aprovados, prazos definidos e conhecimento de todas as rotinas relacionadas ao ramo. E são esses itens que garantem a qualidade de sua atuação, cabendo a você buscar empresas conceituadas para não errar na escolha.

Afinal de contas, não é difícil concluir que, por mais eficiente que você seja, não estará 100% dedicado ao evento, uma vez que terá sua própria escala de prioridades. Poderá, no mínimo, conciliar tal organização às funções já presentes na sua rotina, que não podem simplesmente ser pausadas. Por essas e outras é que a qualidade do evento fica totalmente em risco. Contratado um prestador de serviços especializado, você fica de mãos livres para agir estrategicamente. Assim, ainda que seja sua responsabilidade lidar com a gestão do fornecedor contratado, é bem diferente de ter que efetivamente realizar a organização do evento.

Manutenção da rotina

Esse benefício anda de mãos dadas com o anterior: nada de atrasos na execução das tarefas inerentes à sua função. Com a contratação de um expert no assunto, você não colocará em risco seu profissionalismo e conseguirá responder em tempo hábil a todas as suas demandas, uma vez que a interferência externa se dissipou.

Redução de custos

Há uma série de gastos e atividades minuciosas, demoradas e importantes vinculados à realização de um evento. Podemos destacar:

  • Dimensionamento da grandeza do evento e de tudo o que se relaciona a ele;
  • Pesquisa, cotação e comparação de orçamentos para produtos e serviços necessários;
  • Contato, agendamento e pagamento dos serviços logísticos, como passagens aéreas e viagens, alimentação e hospedagem de participantes;
  • Gestão de gastos extraordinários;
  • Tomada de decisão que compromete custos sem tempo hábil para seguir os processos normalmente mais econômicos;
  • Prestação de contas posterior para todos os custos, sejam eles previstos ou não.

Poderíamos citar ainda muitos outros, alguns relacionados diretamente aos gastos e outros ligados a eles por meio do custo de oportunidade. E se você precisasse realizar todas essas tarefas, seria naturalmente retirado da sua rotina, prejudicando tudo aquilo que tem por obrigação realizar. Empresas de gestão de eventos têm listas de fornecedores, acesso a feedbacks oriundos de contratações anteriores, conhecem aqueles que oferecem o melhor custo-benefício e sabem das características e dos gastos relacionados a todos os setores do acontecimento. Já é meio caminho andado!

Se fosse para continuar listando benefícios, não teríamos dificuldades. Mas a verdade é que você mesmo identificará vários se fizer um paralelo entre as opções que citamos aqui. O detalhe é que de nada adianta conhecê-los na teoria e não contar com um fornecedor de serviços reconhecidamente qualificado, que detenha credibilidade no mercado.

Contratar apenas com base no preço é correr o risco de entregar um evento importante nas mãos de uma empresa que não está apta a realizá-lo. Por isso, é imprescindível fazer pesquisas, buscar referências em sua rede de contatos, visitar as redes sociais e os sites de possíveis escolhas e entrar em contato quantas vezes forem necessárias para se certificar de que está tomando a decisão mais acertada. Lembre-se: uma empresa de excelência não tem medo de manter contato com o cliente e está aberta a sanar suas dúvidas. Analise ainda o comprometimento interno da companhia e o quanto ela se importa e investe em atendimento e gestão.

Fonte: www.copastur.com.br

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Saiba como reduzir custos em eventos de diferentes maneiras

 

Em tempos de crise e mercado altamente competitivo, até mesmo as grandes corporações devem voltar sua atenção para os custos. Afinal de contas, em um cenário tão instável e turbulento como o que vivemos, o ideal é economizar ao máximo em processos, projetos e custos fixos, não concorda? Mas atenção: isso não deve alterar a qualidade dos serviços prestados e dos projetos colocados em ação, pois só assim é possível garantir a competitividade sustentável do negócio a médio e longo prazos.

Mas e quando o foco se volta para os eventos corporativos? Nesse caso, será que é viável reduzir os custos de cada ação sem comprometer a qualidade final da iniciativa? Pois já podemos adiantar que a resposta para essa pergunta é sim! Quer descobrir como reduzir custos em eventos sem deixar de lado o alcance dos objetivos traçados? Então confira já as dicas que trouxemos para o post de hoje!

Escolhendo a data e o local

Apesar de à primeira vista não parecer, ter cuidado ao escolher a data e o local do evento pode ajudar (e muito) na economia durante o planejamento desse tipo de ação. Pense bem: determinados períodos do ano, como datas próximas ao Natal e ao Réveillon, costumam representar custos mais altos tanto em relação ao aluguel dos espaços como à contratação dos mais diversos fornecedores. Por isso, programar o calendário de eventos corporativos com certa flexibilidade, tentando fugir ao máximo das épocas mais caras pode representar um saving bastante significativo.

Ainda em relação a esse quesito, é preciso saber que o aluguel do espaço onde a ação acontecerá pode ser um dos itens mais caros na lista de custos de um evento corporativo. É essencial, portanto, sempre adequar o tamanho do local ao número de convidados, evitando reservar um ambiente grande demais sem necessidade. Afinal de contas, essa escolha representa custos mais altos.

Por fim, vale lembrar que a localização também deve ser levada em conta, uma vez que lugares mais afastados dos centros das cidades costumam ser mais baratos. Por outro lado, essa decisão pode trazer consequências, exigindo o aluguel de ônibus ou vans para garantir a presença dos convidados. Isso, claro, encarecerá o custo final do evento. Em função disso, a melhor opção é, muitas vezes, encontrar um local mais central, de fácil acesso, que seja abastecido por uma boa rede de transporte público ou conte com pontos de táxi nas redondezas.

Buscando o melhor custo-benefício

Ter preguiça ou procrastinar simplesmente não funciona quando o assunto é reduzir custos em eventos. Assim, se seu objetivo é planejar uma ação de qualidade, mas sem estourar o orçamento, precisa pesquisar bastante cada questão. O segredo está em buscar sempre o melhor custo-benefício. E pode acreditar: uma simples busca na internet já costuma ser capaz de oferecer uma extensa lista de fornecedores para praticamente qualquer detalhe do seu evento!

Pensando em tudo isso, faça uma seleção prévia e contate o máximo de fornecedores que conseguir. Verifique o que eles têm a propor e compare cada um, a fim de encontrar os que oferecem o melhor custo-benefício. E ainda vale ressaltar que muitas empresas oferecem pacotes completos para eventos corporativos, com vários serviços agregados — como buffet, música e garçons, por exemplo. Facilita bastante, não é mesmo?

Apostando na negociação

É fato: tão importante quanto buscar o maior número de fornecedores possível é exercer sua capacidade de negociação. Em certos casos, você pode conseguir tarifas promocionais e descontos bastante significativas pelo simples fato de perguntar sobre a existência desses benefícios, sabia? Por isso, perca a vergonha de pechinchar na hora de planejar um evento corporativo!

Usando a tecnologia a seu favor

Com a chegada da revolução digital e da era da informação, não usar a tecnologia a seu favor é um verdadeiro tiro no pé. Afinal de contas, hoje em dia não faltam opções de softwares, aplicativos e programas que têm como objetivo automatizar processos, agilizar planejamentos, fornecer indicadores precisos, auxiliar na tomada de decisões e proporcionar uma relevante economia financeira. E o melhor: quando falamos em eventos corporativos, já existem inúmeras ferramentas digitais que tornam as ações interativas, interessantes e mais bem organizadas. O resultado? Eventos de sucesso com economia!

Divulgando pelas redes

A correta divulgação de um evento corporativo é peça-chave para o alcance dos objetivos da ação. Afinal, é preciso que o público-alvo efetivamente conheça a iniciativa e se interesse por ela, certo? Entretanto, as estratégias de marketing e divulgação, que representam boa parte dos custos de planejamento, têm mudado de maneira acelerada.

Estruturar a maior parte da divulgação por meio das redes sociais e do disparo de e-mails para as pessoas certas: essas táticas têm um alcance impressionante hoje em dia. E o melhor: praticamente sem custos! Chegou a hora de repensar o investimento em folders e cartazes ou outras formas de divulgação física, que envolvem gastos maiores. Só não entenda errado: isso não quer dizer que essas estratégias não funcionam e, assim, devem ser deixadas totalmente de lado. Só vale modificar um pouco os meios para trazer o saving que você tanto espera.

Confirmando a presença dos convidados

Quem já teve a oportunidade de planejar qualquer evento (mesmo que seja a própria festa de aniversário) sabe que muitas pessoas costumam simplesmente não aparecer. Em função disso, criar um sistema eficiente de confirmação de presença é uma dica de ouro! Assim é possível ter uma noção mais precisa do número de convidados que realmente comparecerá, evitando a contratação desnecessária de certos serviços. Só não se esqueça de sempre deixar uma margem de erro para cima, a fim de que o evento comporte presenças de última hora sem deixar a qualidade de lado.

Contando com ajuda especializada

Por fim, se seu objetivo é realmente reduzir custos em eventos de maneira significativa em sua empresa, a melhor dica é contar com ajuda especializada. Isso é possível por meio da contratação de experts no setor! Além de terem parceria com diversos tipos de fornecedores para eventos corporativos, garantindo excelentes preços, essas empresas são formadas por profissionais altamente experientes no assunto. Tudo isso proporciona um salto incrível de eficiência e economia financeira na hora de colocar seu projeto em ação. Acredite: você não se arrependerá de contar com esse auxílio!

Fonte: https://www.copastur.com.br

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Hotéis: a morte (anunciada) das estrelas

 

Morte de quem não viveu – o fim da classificação dos hotéis por estrelas reforça o poder do consumidor na decisão

Texto de Fabio Steinberg

 

Demorou, mas a realidade atropelou a burocracia. Anuncia-se que a anacrônica classificação de hotéis entre uma e cinco estrelas deve acabar no Brasil. Até que enfim as autoridades de plantão do Ministério do Turismo perceberam que esta metodologia perdeu a razão de ser. O sistema se tornou inútil. Não atende nem aos interesses dos hóspedes, nem dos hotéis.

Sistema obsoleto

A classificação de hotéis pode ter sido importante no passado, mas hoje tornou-se obsoleta. Vários fatores contribuíram. A ampla difusão de ferramentas online e sites de avaliação como o TripAdvisor permitiram ao próprio consumidor avaliar os estabelecimentos. É uma boa notícia. A qualidade de um hotel deixa de ser medida só por pareceres técnicos, ou pela opinião de poucos e nem sempre preparados jornalistas. Agora, o que vale é a média das avaliações de dezenas, até centenas, dos que pagam e usam as instalações.

Sim ou não – O consumidor tem nas mãos o melhor remédio para determinar se um hotel é bom ou péssimo para ele

Há outra questão. Cada vez mais prevalecem as tendências de mercado. Por exemplo, um viajante de negócios pode dar mais valor a um hotel ser silencioso e ter internet confiável do que contar com piscina ou ser próximo a um shopping center. As redes hoteleiras captaram isto na frente de todo mundo. Segmentaram seus estabelecimentos por categorias econômicas, combinado à necessidade prioritária dos clientes.

Dinheiro no lixo

No entanto, fica uma pergunta. Por que a partir de 2011 desperdiçou-se tanto dinheiro público, inclusive com a contratação de consultorias externas, para persistir com um sistema tão inútil?

Quando no mundo inteiro as resenhas publicadas por viajantes ganhavam cada vez maior relevância, o Brasil resolveu trafegar na contramão. Sob a impronunciável sigla SBClass (Sistema Brasileiro de Classificação dos Meios de Hospedagem), insistiu em modelo antiquado, anunciado sob fanfarras.

Cegueira? – O Ministério do Turismo tinha indicações de que classificar hotéis por estrelas não era o caminho

Os meios de hospedagem foram então divididos em sete: hotel, resort, hotel-fazenda, cama e café, hotel histórico, pousada e flat/apart. Cada um podia conquistar de 1 a até 5 estrelas. Na complexa constelação tupiniquim, as categorias deviam atender a alguns requisitos básicos, que qualquer hoteleiro leva em conta no seu projeto, como horário da recepção, tamanho dos quartos e banheiros ou frequência na troca de roupa de cama.

As categorias também foram contempladas com regras rígidas. Por exemplo, para ser considerado “hotel”, o lugar precisaria atender a 68 itens de serviços, 108 de infraestrutura e 15 de sustentabilidade. Dá para avaliar a trabalheira para implantar e controlar este processo, abrindo portas inclusive para o suborno.

Monstrengo – o finado sistema para classificar meios de hospedagem tornou-se um monumento à burocracia e suborno

Valor da experiência

Desprezado a segundo plano ficaram de fora questões subjetivas, por vezes intangíveis. No entanto, são exatamente aquelas que consideram a experiência do hóspede. E que, no final das contas, determinam a decisão de hospedagem. Fatores como qualidade do serviço, competência e calor humano da equipe, apresentação e sabor das refeições, bom gosto na decoração, perfil do hóspede, tempo de atendimento, qualidade da internet, entre tantos outros. Esta lacuna vital foi ocupada pelos sites de avaliação, e que hoje se tornaram a principal ferramenta de decisão do usuário.

Vamos falar claro? Quando se trata de hospitalidade, seja qual for a acomodação, do básico ao luxo, o hóspede espera essencialmente a mesma coisa. Limpeza, cama confortável, chuveiro com água quente, ar condicionado, internet, silêncio e segurança. O resto varia entre o nível de sofisticação destes mesmos itens agregado a penduricalhos, mordomias e supérfluos oferecidos por cada estabelecimento.

O SBClass nunca chegou a levantar voo. Opcional, foi seguido apenas por pouquíssimos. Ninguém lembra mais nem quais foram. Como esqueleto gerado pela burocracia impessoal, o sistema tornou-se um triste monumento ao desperdício de tempo e recursos públicos.

Fonte: www.turismosemcensura.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Política de eventos: afinal, o que deve ser levado em consideração?

 

Oportunidade para levar descontração ao ambiente de trabalho, possibilidade de ampliar o networking, momento para apresentar novos produtos e serviços, ocasião perfeita para mostrar reconhecimento pelo esforço e trabalho dos colaboradores: definitivamente não é à toa que muitas e muitas empresas vêm investindo nos eventos corporativos.

Afinal, quando bem planejado e estruturado, esse tipo de ação é capaz de trazer resultados extremamente positivos para a organização, gerando lucro, novas parcerias e fidelização de clientes. Mas tem um detalhe: quem já teve a chance de participar do planejamento de um evento corporativo sabe muito bem que as coisas não são assim tão simples, certo?

São tantos pontos a considerar que a organização se torna essencial. Pois é aí que entra a grande ajuda de uma política de eventos! Sua empresa ainda não tem uma? Então não deixe de acompanhar nosso post de hoje para descobrir o que deve ser levado em conta ao criar uma política de eventos para sua organização. Vamos lá?

Qual a importância de estabelecer uma política de eventos?

Para que um evento seja realmente um sucesso e traga o retorno esperado pela empresa, é crucial determinar detalhadamente diretrizes que orientem toda a criação da ação. Só assim será possível controlar ao máximo as questões que surgirem, evitando imprevistos, equívocos e estouros de orçamento.

É exatamente esse o objetivo do estabelecimento de uma política de eventos! Quando bem estruturado, esse documento descreve, orienta e determina com detalhes todas as questões referentes à criação, à organização e à estruturação dos eventos corporativos. O resultado? Eventos de sucesso, que cumprem totalmente os objetivos para os quais foram criados, trazem retornos financeiros e respeitam o orçamento previamente determinado.

O que levar em conta para criar uma política de eventos?

Quer saber o que deve ser levado em consideração na hora de criar uma política de eventos para que esse documento seja realmente eficaz? Então confira a partir de agora os pontos principais!

Traçar objetivos claros

Eventos corporativos podem ser estruturados com os mais diferentes fins: promover um melhor relacionamento e engajamento dos colaboradores, celebrar datas comemorativas ou o alcance das metas corporativas anuais, fidelizar clientes antigos, prospectar novos consumidores, fechar parcerias e acordos com fornecedores, ampliar o networking, entre muitos e muitos outros.

Como não poderia deixar de ser, dependendo do que se deseja alcançar com o evento, a oferta da empresa pode mudar completamente de figura. Pensando nisso, a política deve prever com exatidão como deve se dar a definição dos objetivos de cada ocasião. Nesse sentido, perguntas como o quequandoondepor quecomo podem ser de grande auxílio. Respondendo a essas questões antes mesmo de começar o planejamento, as ações necessárias para que a iniciativa seja um sucesso ficarão muito mais claras!

Determinar a frequência

A política de eventos também deve esclarecer com exatidão a frequência com que os eventos corporativos deverão acontecer. Será que é melhor planejar anualmente,  a cada semestre ou 3 vezes ao ano?

Determinar na política a periodicidade dos eventos permite que a equipe responsável pela organização possa se planejar, dividir tarefas e agir com uma antecedência viável para que tudo corra bem. Além do mais, também é interessante tentar determinar algumas diretrizes para o planejamento de eventos de última hora. Afinal, nunca se sabe quando será necessário celebrar ou oferecer algo que não estava previsto, não é mesmo?

Selecionar datas estratégicas

A seleção de datas para eventos corporativos é praticamente uma arte. Embora à primeira vista não pareça, pode acreditar: essa é sim uma questão estratégica. Quando mal escolhidas, as datas podem simplesmente arruinar um evento por dificultar o comparecimento dos convidados.

Assim, uma política de eventos deve orientar sobre a seleção de datas estratégicas para essas ações. Em datas comemorativas, como Natal ou Páscoa? Ao final de cada ano, a fim de comemorar os resultados atingidos e premiar colaboradores que se destacaram? A cada lançamento de produto ou serviço? Semestralmente, para os clientes fiéis? É bom pensar direitinho sobre o assunto.

Estruturar o planejamento

Evento de sucesso é aquele planejado com a máxima antecedência possível. Afinal, são inúmeras as questões a serem determinadas e resolvidas para que tudo corra bem. E é imprescindível ter tempo suficiente para isso!

Com esse alerta em mente, vale estruturar cuidadosamente já na política de eventos a antecedência ideal para o planejamento dos eventos da companhia. Nesse tópico podem estar contemplados, por exemplo, os prazos máximos para a contratação de serviços, o aluguel de espaços e a busca por atrações.

Pensar na divulgação

De nada adianta planejar um evento incrível se ninguém ficar sabendo que ele acontecerá, não é verdade? Por isso, a política de eventos pode delinear como a equipe responsável pelo marketing  e pela divulgação das ações deve proceder.

Por quais meios os convidados serão avisados? Como se dará a promoção do evento em redes sociais e nas mídias impressas? Quais são as diretrizes para a criação de logos e da arte gráfica de banners e folders? Tudo isso (e muito mais) deve estar especificado no documento.

Ajustar diretrizes ao orçamento

Obviamente, cada empresa tem suas limitações financeiras e determinado orçamento destinado à organização dos eventos corporativos. E é claro também que esses valores devem estar muito bem esclarecidos na política de eventos!

Só com essa diretriz é que a equipe organizadora pode agir para adequar a ação ao orçamento disponível. Do contrário, estouros de limites financeiros (que, aliás, acontecem até mesmo em eventos altamente bem estruturados) acabam se tornando frequentes e prejudicando seriamente o alcance dos resultados.

Esclarecer ações posteriores

Embora sejam negligenciadas por muitas empresas, as ações pós-evento são extremamente importantes quando se trata de oferecer experiências cada vez melhores e mais alinhadas tanto ao que a empresa quer quanto ao que os convidados esperam.

Pedidos de feedback, mensagens de agradecimento aos convidados que compareceram ou até mesmo criação de páginas para compartilhamento de fotos tiradas durante a ação: as ações pós-evento ajudam a estreitar os laços com os convidados, a melhorar pontos fracos e corrigir equívocos e falhas. Justamente por isso, a política de eventos também deve esclarecer como essas ações deverão ser estruturadas e colocadas em prática.

Fonte: https://www.copastur.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

O (muito) lucrativo turismo de saúde

 

Medicina com lazer – O Turismo de saúde aposta que é possível combinar as duas coisas e ainda economizar dinheiro

Texto de  Fabio Steinberg

Países que apostaram no Turismo de Saúde para atrair estrangeiros atrás de tratamentos celebram resultados espetaculares

Há uma modalidade de turismo que está entre as que mais crescem no mundo. Trata-se do Turismo de Saúde. Por trás deste nome genérico um generoso guarda-chuva abriga não apenas a Medicina tradicional. Sob o conceito de saúde e bem-estar, desfila uma gama de tratamentos. Eles vão do estético ao relaxamento físico e espiritual, da busca da felicidade ao esoterismo.

O turismo médico está focado principalmente em tratamentos de consultórios ou hospitais de outro país. A rigor, já existe há décadas. Só que antes os moradores regiões menos desenvolvidas buscavam terapias nos centros médicos mais avançados. Recentemente, o processo se inverteu. Agora são cidadãos de países do primeiro mundo que procuram atendimento médico em destinos menos desenvolvidos, mas mais em conta. Como bônus, podem fazer também turismo antes de um procedimento, ou durante a fase de recuperação.

Doente delivery  – Aviação internacional com baixos custos estreitou distâncias e viabilizou o Turismo da Saúde

Os dois interessados

Há dois grupos interessados neste tipo de viagem internacional. De um lado, são os que buscam serviços de qualidade, nem sempre disponíveis ou legalizados onde vivem. De outro, estão aqueles que correm atrás de menores custos e melhores prazos de atendimento para suas necessidades médicas.

Os tratamentos mais frequentes são dentários, cirurgias eletivas (não emergenciais), fertilidade, e cosméticas. Psiquiatria, medicina alternativa, ou convalescência também andam em plena ascensão.

Países desenvolvidos como Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Japão, Canadá e França tendem a atrair pacientes interessados em procedimentos mais complexos e avançados. Já na Medicina convencional, a disputa se dá entre África do Sul, Tailândia, Malásia, Singapura, a maioria interessada em abocanhar o filão que até recentemente era explorado só pela Índia.

O aumento exponencial dos custos com saúde provocou forte concorrência entre países por tratamentos médicos

Muita gente imagina que estes tratamentos ocorrem em alguma clínica rudimentar, no meio da selva de um país do terceiro mundo. Puro preconceito. Hoje nestes destinos menos desenvolvidos há sofisticadas instalações médicas com tecnologia de ponta e serviços de alta qualidade.

Já o turismo de saúde e bem-estar é relativamente novo, mas que se expande de forma exponencial. Consiste em viagens que permitam se engajar em atividades saudáveis para quem está atrás do equilíbrio pessoal. Isto pode ocorrer em destinos exóticos, resorts, ou retiros, entre outros ambientes propícios.

Indústria em expansão

Não é para menos que países que participam do turismo de saúde promovam uma acirrada disputa entre si. Afinal, são 14 milhões de pessoas que cruzam as fronteiras internacionais todos os anos. Em cada viagem gastam em média 3.800 e 6.000 dólares – entre despesas médicas e bem-estar, transportes e hospedagem. O segmento se expande a invejáveis taxas anuais de 10%, em um mercado que já atingiu 500 bilhões de dólares. Projeções falam em receitas que devem alcançar três trilhões de dólares até 2025.

Para onde eu vou? –  Mais países disputam turistas internacionais interessados em se tratar no Exterior

Os destinos mais populares para o turismo médico são Canadá, Cuba, Costa Rica, Equador, Índia, Israel, Jordânia, Malásia, México, Cingapura, Coréia do Sul, Taiwan, Tailândia, Turquia, e Estados Unidos.

Já para cirurgias cosméticas os viajantes preferem Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, México, Turquia, Tailândia e Ucrânia, entre outros.

Do lado dos viajantes, os Estados Unidos lideram o campeonato mundial dos que buscam tratamento fora do país. Anualmente, gastam 200 bilhões de dólares no exterior, segundo o Global Wellness Institute. Atrás dos americanos, vem os alemães, que dispendem U$ 60 bilhões em medicina no exterior, e os chineses, na casa dos U$ 30 bilhões.O

Brasil come mosca?

E o Brasil? Infelizmente não se encontra entre os países líderes no turismo médico. Ainda atua timidamente, com maior foco na cirurgia plástica.

É uma pena. Com excelente tecnologia médica, bons profissionais e instalações, com destaque para São Paulo, o Brasil tem tudo para ocupar espaço no segmento. E não se pode ignorar que, junto com os tratamentos, os visitantes internacionais do turismo de saúde consomem diárias de hotel, transportes, alimentação, tours, produtos e serviços.

Oportunidade perdida– Se o Brasil não correr atrás do nicho do turismo da saúde vai perder mais este trem

 

* Extraído de matéria publicada na Revista Viagens S.A., agosto de 2018

Fonte: www.turismosemcensura.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag | Deixar um comentário

6 habilidades essenciais que as escolas não ensinam

 

Os moldes tradicionais de ensino não conseguem acompanhar as demandas do mercado de trabalho

O desenvolvimento tecnológico e os relacionamentos pessoais cada vez mais dinâmicos afetam diversas áreas da sociedade, mas caminham a passos lentos quando se trata das instituições de educação formal. Algumas habilidades essenciais, como liderança, oratória, inteligência emocional, produtividade e persuasão, não são ensinadas nas universidades, mas são essenciais para profissionais que querem se destacar na carreira ou no próprio negócio.

“É comum encontrar pessoas bem sucedidas no que se propuseram, que nunca frequentaram uma faculdade, mas possuem um algo a mais que as levou a outro patamar. Algumas habilidades vitais para conquistarmos o que desejamos, infelizmente, não são ensinadas nas escolas ou universidades” comenta Hendel Favarin, Cofundador da Escola Conquer, desenvolvida no Vale do Silício para acelerar o crescimento pessoal e profissional das pessoas.

1. Metas e produtividade

Tudo começa com o estabelecimento das metas. Elas são importantes para mostrar – e lembrar – uma direção. Precisam estar sempre alinhadas com o propósito e objetivos de longo prazo. Sem uma meta bem estabelecida, o profissional fica como um barco perdido no mar: está a deriva e não sabe para onde ir, é muito mais fácil traçar o caminho errado, e o pior: sem nem se dar conta disso. Metas claras mantém os profissionais em movimento e são uma ótima base no momento de tomar as melhores decisões.

2. Ter inteligência financeira

A inteligência financeira não está ligada a grande quantidade de dinheiro na conta bancária, mas sim em planejamento. Por ter uma maior estabilidade, o profissional que aplica inteligência financeira consegue fazer escolhas com maior autonomia, sem as amarras de boletos. “Conhecer suas finanças pessoais, ter um bom planejamento de curto, médio e longo prazo, além de saber como investir ou obter créditos de maneira inteligente deveriam ser habilidades ensinadas nas escolas, para todos, independente da profissão” declara o cofundador da Escola Conquer.

3. Erro e aprendizado

Uma ideia original tem a sua possibilidade de erro e consequentemente, os erros estão fortemente ligados ao aprendizado. Todas as pessoas de sucesso também falharam. Ainda assim, desde cedo as pessoas são programadas para achar que errar é ruim. Na escola aprende-se que só existe uma resposta certa para cada pergunta. Portanto, há a necessidade do fortalecimento de uma cultura que mostre o potencial construtivo do erro. O primeiro passo para a evolução de uma postura mais assertiva diante dos obstáculos é aceitá-lo.

4. Boas relações e capacidade de comunicação

A sociabilidade é uma característica inerente do ser humano e ter bons relacionamentos interpessoais só traz vantagens no mercado de trabalho. A importância da comunicação foi revelada por uma pesquisa do Project Management Institute Brasil (PMI). Os resultados mostraram que mais de 70% de 300 empresas culpam erros na comunicação como um dos principais motivos de fracasso de suas iniciativas. Por mais qualificado que seja, a falta de habilidades comunicativas pode ser uma desvantagem para o profissional. Se expressar de maneira coerente e clara é o primeiro passo para alavancar a carreira e ideias.

5. Marketing básico

O marketing é necessário em diversas profissões, principalmente para alcançar metas. “Uma ideia no trabalho, um aumento de salário, ou convencer seus amigos para um plano diferente no final de semana. Em todos estes exemplos, é possível encontrar vários momentos em que você precisará de fundamentos de marketing”, explica Favarin. Por mais que o profissional seja competente no que faz, se seu trabalho não for reconhecido ou visto, a consolidação de sua carreira pode ser mais devagar.

6. Autoconhecimento e inteligência emocional

“Em média, passamos por aproximadamente 13 problemas ao dia. Isso representa 13 situações nas quais somos desafiados, que não vão em linha com as nossas expectativas, e temos que enfrenta-las” argumenta Hendel Favarin. Segundo o cofundador, como os profissionais lidam com os problemas faz a diferença na vida pessoal e profissional. Não é recomendável procrastinar ou ignorar essas situações complicadas, esses problemas podem se transformar em circunstâncias desgastantes e complexas. Para lidar com esses momentos, é necessário que o profissional una autoconhecimento com inteligência emocional.

Fonte: www.administradores.com.br

 

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Como promover um bom networking em eventos?

 

Quer ampliar sua rede de contatos? Então compareça a eventos corporativos!

Não é à toa que todo mundo já ouviu algum conselho parecido. Afinal, nessas oportunidades é possível encontrar clientes, fornecedores, parceiros e colegas de trabalho, ampliando o networking de forma qualificada em pouco tempo! Mas você sabia que os organizadores de eventos também podem dar uma mãozinha para estimular conversas produtivas e promissoras entre os convidados?

Neste post, vamos mostrar como a organização pode promover o networking em eventos e garantir que esse aspecto do encontro corporativo também seja considerado um sucesso. Confira!

Comece pelas redes sociais

Você pode começar a estimular o networking antes mesmo da data marcada. Para isso, a melhor dica é usar as redes sociais! Crie um evento para divulgar o encontro profissional no Facebook, por exemplo, e aproveite para abrir a página de discussões para os convidados. Assim, todos já conseguem visualizar quem serão os presentes e identificar interesses em comum.

Lembre-se de estimular a interação entre os convidados no meio virtual, compartilhando materiais alinhados com os objetivos do evento e incentivando comentários e opiniões ao fazer perguntas instigantes. Só não force a barra! Ações como tagear pessoas podem ser consideradas invasivas e causar justamente o efeito contrário do esperado, distanciando os convidados.

Organize a distribuição de mesas e assentos

Estimular o networking em eventos também passa por um planejamento logístico. Em encontros em que os convidados estarão acomodados em mesas ou dispostos em fileiras de cadeiras (como em palestras), vale a pena dedicar um tempinho à destinação correta de lugares.

Aqui a dica é simples e eficiente: aproxime convidados que você julga que terão mais afinidades ou interesses em comum. Acredite: vizinhos de mesa têm mais possibilidade de entrar em contato uns com os outros de maneira orgânica. Mas cuidado! Também é importante que os convidados estejam lado a lado de pessoas conhecidas. Um pequeno grupo de colegas serve como rede de apoio, fazendo com que todos se sintam mais seguros para interagir com pessoas de outros grupos.

Mantenha um layout aberto

Outra questão espacial que definitivamente faz a diferença no networking em eventos diz respeito à mobilidade. É importante que os convidados se sintam motivados a transitar pelo local de maneira livre e, assim, aumentar suas chances de interagir com mais pessoas do seu interesse.

O segredo, portanto, está em evitar entulhar demais o espaço do evento com várias mesas ou balcões. Em vez disso, aposte em corredores largos e crie áreas abertas onde as pessoas possam se reunir em pequenos grupos de conversa sem que isso afete de maneira negativa a circulação no ambiente.

Dedique tempo de palco a apresentações

Os anfitriões e mestres de cerimônias são figuras-chave para estimular interações produtivas. Durante a apresentação do evento ou mesmo no final de uma palestra ou de um workshop, esses profissionais podem agradecer e anunciar a presença de alguns convidados.

Dessa forma, todos os presentes conseguem entender quem são os demais participantes, de que áreas ou empresas eles vieram e quais são seus interesses em comum. É importante que isso seja feito de forma sutil e, ao mesmo tempo, deixando claro que os presentes podem desfrutar de um momento ideal para se dedicar ao networking.

Explique também que momentos livres foram planejados para permitir a conversa direta entre os convidados, seja em um coffee break ou em um momento mais descontraído de entretenimento. Assim, os presentes não vão apenas assistir a uma palestra e ir embora, mas aguardarão o momento certo para encontrar aquele cliente ou investidor especial, bater um papo e trocar cartões.

Adicione atividades interativas

Vamos ser claros: ninguém quer ir a um evento corporativo e ficar apenas sentado ouvindo alguém falar sobre determinado produto, serviço ou uma novidade implementada pela empresa. As pessoas querem sentir que realmente participam do sucesso daquele evento. Querem, portanto, meios de interação tanto com a empresa quanto com os demais convidados.

Aqui no blog já demos algumas dicas para tornar seu evento mais interativo e, assim, garantir a satisfação dos convidados e melhorar a imagem da própria empresa. O melhor é que também vale usar esses truques para estimular o networking! Isso pode ser feito com propostas de brincadeiras e jogos realizados em grupo, proporcionando momentos de entretenimento em que os convidados se sintam livres para conversar de maneira natural.

Aqui podem entrar shows de bandas, peças de teatro interativas ou até equipamentos que estimulem o contato entre os presentes, como cabines de fotos.

Apresente os convidados

Não são apenas aquelas ações de entretenimento mais ruidosas que ajudam os convidados a ampliar sua rede de contatos, viu? Também é possível fazer isso de maneira mais discreta e tradicional. Em uma recepção, anfitriões, mestres de cerimônias e participantes do staff podem simplesmente apostar na apresentação direta dos convidados!

Afinal, essas pessoas conhecem todos os presentes e têm ao menos uma ideia de seus interesses, sendo, portanto, capazes de aproximar pessoas que realmente ganharão com essa apresentação. Tente algo como: “Senhor, gostaria de apresentar nosso analista de TI, responsável pela manutenção da Empresa X, que atua na mesma área que a sua”. Esse tipo de introdução, simples e discreta, já direciona a interação entre os convidados.

Continue mesmo depois do evento

Ao contrário de um jogo de futebol, um evento corporativo não necessariamente acaba quando termina. Os organizadores já sabem que é preciso dar continuidade ao relacionamento pós-evento para garantir a manutenção do seu impacto e estimular o retorno dos convidados. Também podem ser tomadas atitudes que ampliem a capacidade de networking dos participantes.

Manter o evento nas redes sociais, por exemplo, já é uma boa maneira de conservar um canal de comunicação aberto entre os que estiveram presentes. Além disso, o mailing dos participantes, contendo informações como nome e telefone ou e-mail também pode ser disponibilizado pelos organizadores, desde que previamente autorizados pelos convidados.

Fonte: www.copastur.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Como surpreender os convidados em eventos empresariais

 

O que antigamente era exceção, hoje faz parte da rotina de muitas empresas: estamos falando dos eventos empresariais.

E não é para menos! Um evento corporativo bem organizado é capaz de transformar os convidados em verdadeiros multiplicadores das mensagens e metas da organização, tudo de uma maneira pra lá de natural.

Seja para recepção do público externo com o objetivo de aumentar e fortalecer os laços com fornecedores e clientes, ou voltados para o público interno, como convenções de venda, lançamentos de campanha ou treinamentos, eventos empresariais bem planejados podem oferecer inúmeros benefícios para o negócio.

Com eles, é possível promover a interação entre as pessoas e, consequentemente, aliviar o estresse do dia a dia de trabalho. O chamado marketing ao vivo pode gerar resultados surpreendentemente positivos para a companhia.

Entretanto, organizar um evento empresarial de qualidade não é tarefa das mais simples. Independentemente do objetivo e da motivação, ele deve mexer com a emoção das pessoas e promover experiências únicas aos convidados, garantindo satisfação total.

Mas como fazer isso de maneira eficiente, atingindo de forma certeira o alvo? É exatamente sobre isso que falaremos neste post. Quer descobrir como surpreender seus convidados em eventos empresariais? Então, continue a leitura e fique de olho nas nossas dicas!

Aposte na interação antes e depois do evento

Usar a tecnologia e as técnicas inovadoras disponíveis para surpreender seus convidados tanto antes como depois do evento é uma excelente estratégia.

Lançar um hotsite pré-evento, enviar campanhas de e-mail marketing e utilizar as redes sociais para interagir com os convidados antes do grande dia cria intimidade e gera ótimas expectativas. Nessas ocasiões, dê pistas sobre o que será encontrado no evento, mas sem entregar o ouro! Sempre deixe algo surpreendente para mostrar com exclusividade ao vivo.

As ações pós-evento também são extremamente importantes para a construção de uma boa impressão por parte dos convidados. Garanta que todos receberão as fotos, os vídeos e os demais conteúdos produzidos durante o evento. Além disso, estimule o envio de feedbacks com opiniões, críticas e sugestões. Dessa forma, você terá material para se programar cada vez melhor para as próximas vezes.

Fique atento aos detalhes

Apesar de passarem despercebidos na grande maioria dos eventos empresariais, certos detalhes podem surpreender seus convidados e tornar a ocasião simplesmente inesquecível.

Que tal, por exemplo, incluir opções vegetarianas e veganas no cardápio? Disponibilizar kits de higiene e farmácia nos banheiros também demonstra cuidado, assim como organizar um espaço kids para quem não tem com quem deixar os filhos pequenos.

Finalmente, outro detalhe que não pode ficar de lado é a necessidade de investir em uma equipe de garçons disposta a atender com excelência. Juntas, essas pequenas questões contribuem para que o evento seja um verdadeiro sucesso.

Invista em uma atração de cair o queixo

Escolha a dedo uma atração surpresa para seu evento. Pode ser um show de mágica, um cantor excelente, uma palestra motivacional ou mesmo um comediante stand-up.

O segredo está em surpreender seus convidados, proporcionando momentos de alegria, encantamento e pura diversão. Acredite: eles não se esquecerão tão cedo!

Use a tecnologia a seu favor

Hoje em dia, os eventos empresariais estão cada vez mais tecnológicos, o que acaba promovendo uma maior interação entre os convidados e auxiliando na própria divulgação da solenidade.

Cabines de fotografias instantâneas, disponibilização de rede wi-fi grátis no local e um sistema de som e imagem digitais, por exemplo, são itens que podem fazer toda a diferença no sucesso do evento. Mas, para que tudo saia nos conformes, é fundamental contar com fornecedores de confiança e qualidade para esses serviços.

Valorize também as redes sociais e a tendência que todos nós temos de querer compartilhar virtualmente as ocasiões interessantes e diferenciadas das quais participamos.

Leve isso também para a decoração! Os convidados não resistirão a tirar várias fotos em frente a painéis coloridos, remetendo à identidade visual do evento e da marca. Slogans e imagens espertas e criativas, além de funcionarem enquanto marketing, também são apreciados nas redes sociais.

Crie uma hashtag e convide todos os presentes a usá-la em suas postagens nas redes sociais. Além de espalhar o nome da empresa, você ainda pode acompanhar as publicações durante e após o evento.

Invista no marketing olfativo

Já imaginou se seu evento tivesse um cheiro exclusivo, só dele? Parece coisa de outro mundo, não é mesmo? Pois saiba que esse é o objetivo do marketing olfativo.

Por meio da contratação de uma empresa especializada no setor, é possível criar um aroma único para o evento. Cada nota adicionada tem um objetivo específico, como promover alegria ou o relaxamento nos convidados, por exemplo.

Ao irem embora, os convidados ainda podem receber um brinde ou uma lembrancinha contendo o aroma escolhido! Assim, toda vez que sentirem aquele cheiro, lembrarão com carinho do evento e, consequentemente, da sua empresa. Isso acontece por que o olfato é um dos caminhos mais fortes de ativar a nossa memória emocional.

Distribua brindes diferenciados

Atenção: já se foi o tempo de distribuir canetas, blocos de anotações ou ímãs como brindes nos eventos empresariais, combinado? Até mesmo nesse quesito é preciso criar e inovar, mas sem perder de vista o objetivo de promover os valores e as missões da empresa.

Portanto, a palavra que deve guiá-lo na escolha das lembrancinhas é utilidade. Distribua algo que as pessoas realmente usarão, como canecas, porta-celulares e lâmpadas de leitura portáteis.

Outra grande sacada é investir em brindes ecológicos, que tenham como lema a manutenção da sustentabilidade do planeta. Afinal, a preocupação com essa questão vem aumentando cada dia mais.

Sacolinhas que servem de lixeira para carros, ecobags e brindes feitos de material reciclado são muito bem-vindos, pois passam aos convidados a mensagem de que a empresa está antenada e preocupada com o meio ambiente.

Conte com fornecedores capacitados

A organização de um evento exige fornecedores de mesas, cadeiras, iluminação, equipamentos de som e de imagem, materiais decorativos, alimentação, bebidas, brindes e mais uma série de itens. Ufa! É muita coisa mesmo.

Para garantir que tudo esteja no lugar certo e funcionando como deve, é fundamental contar com fornecedores capacitados.

O evento é algo especial que você deseja oferecer aos convidados, e os fornecedores são aqueles que ajudam nessa missão. Portanto, é preciso analisar se eles têm o que é necessário para o objetivo final e se as equipes são de confiança.

Afinal, eventos envolvem imprevistos, pressões e complicações de última hora. Se não há um cuidado na escolha dos fornecedores, eles podem revelar-se maus parceiros, justamente quando você mais precisar. Por outro lado, acertar nessa decisão permite otimizar o orçamento e obter um verdadeiro apoio para lidar com os desafios envolvidos.

Capriche no planejamento para o grande dia

Para começar, um checklist completo e bem organizado ajuda a transformar os objetivos em realidade. Ele é importante para que, durante o evento, nenhum item seja esquecido e tudo ocorra de maneira dinâmica e sem gargalos, exatamente como foi planejado.

Além disso, a segurança dos convidados e de toda a equipe deve ser uma prioridade — isso inclui verificar os pontos de eletricidade, os geradores de alta tensão, a instalação dos equipamentos e, se forem usados, as cenografias e os salões. Tais itens são tão imprescindíveis, que vale à pena pensar em um Plano B, caso algo dê errado.

Todos os envolvidos, incluindo colaboradores, fornecedores, palestrantes, artistas, entre outros, devem garantir o compromisso com o evento. Portanto, uma boa ideia é realizar ensaios técnicos e artísticos para identificar — e solucionar — previamente quaisquer problemas no fluxo ou condução do evento.

Transforme o evento em uma experiência única

Se os eventos são cada vez mais comuns no mundo empresarial, é preciso ir ainda mais longe para garantir que o seu será único, especial e memorável.

Que tal receber os convidados com um welcome drink, como uma taça de espumante ou de água saborizada? Esse agrado causará uma excelente primeira impressão, pois é uma forma delicada de dar as boas-vindas ao grupo e de agradecer a presença de cada um.

A qualidade do atendimento fornecido pela equipe também é fundamental para que os convidados se sintam à vontade e bem servidos. Os recepcionistas, por exemplo, devem ser muito bem treinados para agir com simpatia e proatividade. Eles também devem demonstrar um forte domínio de todas as informações relacionadas ao evento.

Entretanto, é fundamental que esse cuidado com treinamento e orientação envolva todos os colaboradores. Afinal, desde o barman até o segurança, cada um deverá ter sua parcela de interação com o público durante o evento. Portanto, precisam saber lidar com ele. A eficiência e a simpatia da equipe fazem toda a diferença na condução do evento.

Quando o grande dia desenrola-se com expertise, cuidado e dedicação, os convidados percebem e respondem com engajamento.

Analise o número de convidados

Pode parecer uma dica básica, mas acredite: muitas empresas erram em seus eventos por não saberem trabalhar com uma previsão real do número de convidados. Não caia na mesma armadilha!

Por um lado, receber mais pessoas do que o esperado faz com que não haja recursos e espaço o bastante para receber todo mundo com conforto. Enquanto isso, aguardar um número muito mais elevado do que a quantidade efetiva de presentes leva a um grande desperdício de recursos financeiros, de alimentos e de materiais.

Além disso, se uma quantidade muito menor de pessoas do que a esperada aparecer no dia do evento, os presentes perceberão os espaços vazios e, mesmo que inconscientemente, ficarão com a sensação de que a atividade não foi tão bem-sucedida quanto a empresa planejava.

Disponibilize um serviço de vallet

O convidado acaba de chegar ao local do evento e está animado pelo que vem pela frente. Então, a primeira coisa que acontece é… minutos e mais minutos circulando de carro, em busca de uma vaga para estacionar. Uma péssima primeira impressão, não é mesmo?

Esse transtorno é facilmente evitado por meio da disponibilização de um serviço de vallet. Assim, os convidados desembarcam pertinho da entrada do local, sem maiores preocupações, e podem começar logo a aproveitar o evento. Enquanto isso, os profissionais devidamente capacitados ficam com a responsabilidade de estacionar os veículos.

Fique atento ao pós-evento

Para que tudo o que foi planejado e conduzido com tanto cuidado renda frutos em longo prazo, o cuidado pós-evento é imprescindível. É com ele que você compreenderá melhor o que deu certo ou errado, o que pode ser aprimorado nas ocasiões futuras e, mais importante ainda, como é possível manter e estreitar a relação com o convidado.

Trata-se de uma etapa complexa, especialmente por que muitos negócios não dão a ela a devida importância. Primeiramente, os convidados devem receber todos os registros do evento, o que vai reforçar a ocasião em suas memórias e fornecer material para que eles compartilhem nas redes sociais e espalhem o nome da empresa ainda mais longe. Além disso os convidados devem ser ouvidos através de pesquisas de satisfação com abertura para comentários e sugestões, assim você saberá o que agradou e o que pode ser melhorado nas próximas oportunidades.

É recomendado, também, que fornecedores, membros do staff e demais envolvidos com a organização recebam um feedback, tanto para compartilhar os elogios recebidos quanto para destacar pontos a serem melhorados.

Contrate uma empresa especialista no assunto

Como deu para perceber ao longo deste post, organizar eventos empresariais com excelência definitivamente não é uma tarefa fácil. Mesmo quando falamos de negócios de pequeno ou médio porte, diversos aspectos e detalhes devem ser levados em consideração para que tudo saia conforme o planejado. Isso consome bastante tempo e planejamento.

Por isso, pode ser interessante investir na contratação de uma empresa, ou profissional, especializada em organização de eventos empresariais. Essas companhias possuem bastante conhecimento no assunto, têm contato com fornecedores de qualidade e trabalham com uma equipe especializada para transformar todos os desejos do cliente em realidade.

Além disso, a partir do momento de sua contratação, a terceirizada se torna responsável por absolutamente tudo relacionado ao evento, desde a divulgação anterior ao grande dia até as ações pós-evento. Tudo isso, é claro, sempre em contato direto com o cliente, enviando relatórios e reportando qualquer imprevisto ou mudança de planos.

Investir em eventos empresariais surpreendentes, que apresentem novidades e provoquem boas sensações nos convidados, é garantia de manter a motivação e o bom desempenho dos colaboradores, fortalecer a marca da companhia e fidelizar de vez os clientes. Então, aposte nessa sem medo!

Fonte: www.copastur.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Eventos online: descubra se funcionam para sua empresa

 

Quando você acha que nada mais pode ser inventado, a tecnologia se aprimora e pronto: lá vem mais uma novidade para o mundo corporativo. É o caso, por exemplo, dos eventos online! Sabia que essa modalidade é capaz de ajudar as empresas a obterem mais adesão e engajamento para seus eventos?

Se você ainda não ouviu falar nessa história, fique de olho nos próximos tópicos para entender direitinho e pensar se a ideia funciona ou não para seu negócio!

Afinal de contas, o que são eventos online?

Basicamente, os eventos online são transmitidos pela internet, podendo ser exibidos apenas em tempo real ou permanecer disponíveis em forma de gravação. Dessa forma, além de alcançar os participantes in loco, o evento se expande para outros espectadores. É simples assim!

Quais são as vantagens de um evento online?

A modalidade online é ideal para iniciativas internas de grande porte, principalmente para empresas com diversas unidades espalhadas em diferentes locais. Assim, o evento acontece em uma localidade específica, mas os colaboradores que não podem participar presencialmente têm uma alternativa para se beneficiar das atividades.

Podemos citar como exemplo uma palestra motivacional com um palestrante de renome. O negócio não só organiza o evento normalmente, em uma de suas filiais, como também o transmite pela web, de forma que os funcionários das outras unidades também possam assistir. Assim, é possível manter os benefícios de um evento presencial e ainda agregar as vantagens do online!

Como você deve ter percebido, esta alternativa funciona como uma complementação inteligente. Porém, cuidado para não achar que a versão virtual substitui a organização de eventos nos quais o colaborador comparece em pessoa! Afinal, quando ele está assistindo pela tela do computador, perde um componente muito importante: a interação.

Eventos corporativos têm a importantíssima função de aumentar o engajamento do colaborador com a empresa e com seus colegas, reforçando seu vínculo emocional. Isso causa um impacto positivo na motivação, na produtividade e na fidelidade da equipe.

Infelizmente, não é possível reproduzir esse efeito com os eventos online. Eles trazem, portanto, uma possibilidade de alcançar os colaboradores que normalmente não poderiam participar em pessoa. Enquanto isso, para aqueles que podem, o evento presencial continua sendo indispensável.

Que estrutura é necessária para esses eventos?

Se você quiser apostar nessa ideia, saiba que é preciso contar com uma estrutura mínima. Entre os itens que você deve providenciar estão:

  • som e iluminação adequados;
  • câmeras de filmagem, que devem estar devidamente posicionadas para captar tudo ou ser manuseadas por especialistas na transmissão de imagens ao vivo;
  • conectividade estável com a internet, para que seja possível transmitir o evento com boa qualidade e sem interrupções;
  • acesso a uma plataforma adequada para a transmissão de vídeos — é crucial escolher uma plataforma segura para que apenas usuários cadastrados (no caso, os colaboradores da empresa) tenham acesso à transmissão.

E atenção: embora seja necessário investir em bons equipamentos, esses mesmos recursos poderão ser usados para diversos eventos online no futuro. No longo prazo, portanto, há economia.

Além dos equipamentos, também é altamente recomendável contratar uma empresa especializada na organização de eventos. Esse pessoal vai garantir qualidade impecável ao seu evento online. Eles podem, inclusive, trazer o próprio equipamento técnico — o que só vai deixar o processo ainda mais fácil para você.

Como eliminar barreiras para produzir eventos online?

A verdade é que produzir eventos online dentro das empresas ainda não é muito fácil, uma vez que os próprios gestores costumam se opor à prática. A fim de eliminar as barreiras internas, é preciso:

  • garantir o sucesso dos eventos online;
  • conseguir o melhor custo-benefício possível;
  • aumentar o valor agregado.

Garantir o sucesso

Para garantir o sucesso dos eventos online é preciso, antes de mais nada, motivar a equipe para participar. Isso porque, muitas vezes, a facilidade de acesso acaba causando o efeito contrário: funciona como desculpa para não participar.

É um processo similar com o que acontece com alunos de faculdades a distância que simplesmente nunca acessam o curso. O detalhe é que, no caso das faculdades, é o próprio aluno quem paga. Já no caso dos eventos online, a empresa arca com os custos. Assim, se não existe adesão, esse investimento vira desperdício.

Para evitar esse tipo de efeito reverso, é fundamental educar os colaboradores para que encarem os eventos online com seriedade. Uma boa estratégia é promover os primeiros eventos em horário regular de trabalho. Quem pode comparecer, ótimo. Já quem está longe assiste do próprio computador da empresa! Ao notarem que qualidade vem associada a praticidade, os profissionais passarão a aderir naturalmente aos próximos.

Otimizar o custo-benefício

Para otimizar o custo-benefício, você deve avaliar as necessidades da empresa antes de planejar como o evento online será realizado.

Aqui vai um exemplo: a transmissão de um evento de integração, como uma festa de lançamento de um novo produto, exige que haja mais câmeras circulando pelo evento, cuidados específicos com o som, iluminação, e assim por diante. Enquanto isso, a transmissão de uma palestra realizada para treinar os colaboradores é bem mais simples, pois o foco fica apenas no palestrante.

Cada evento presencial possui uma dinâmica própria e, portanto, também requisitos específicos para que o evento online tenha alta qualidade. É importante contar com uma equipe especializada, que poderá ajudar a identificar as necessidades em cada caso, para garantir o sucesso da transmissão sem que haja desperdício de recursos ou gastos desnecessários.

Aumentar o valor agregado

Com objetivo de aumentar o valor agregado dos eventos online, uma ótima pedida é aproveitar a oportunidade que eles oferecem para criar um banco de conteúdo e conhecimento próprio. Pense bem: entre apresentações de palestras, cursos e outros eventos, uma empresa gera muito conteúdo útil para sua comunidade interna.

A transmissão de eventos online facilita a criação de uma base de vídeos com as gravações. Assim, até mesmo aquele colaborador que entra na organização depois do evento pode assisti-lo! Por consequência, os profissionais têm muito mais oportunidades de adquirir conhecimentos relevantes, promovendo crescimento para todo o negócio a partir de seu aprimoramento.

Pode acreditar: com esse passo a passo, você consegue reduzir as objeções internas aos eventos online, passando a implementar a prática na empresa. Pronto para superar esse desafio?

Por fim, que tal aproveitar para descobrir como criar um excelente evento corporativo tanto online quanto offline? Baixe agora mesmo nosso guia de eventos corporativos e se prepare para o sucesso!

Fonte: www.copastur.com.br

 
Publicado em Artigos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário